segunda-feira, 13 de junho de 2011

CRÔNICA DA MORTE ANUNCIADA

O sábado nos trouxe algumas verdades sobre o time do Grêmio. Porque time, e não plantel?
Porque por mais que outros jogadores estejam desempenhando bem o seu papel em campo e outros estejam pedindo passagem, ficam  no banco de reservas e nem testados são. Renato não abre mão de seus "bruxos". A mudança de esquema para que se colocasse o Gabriel em campo foi uma aberração. Não estou dizendo que não apoio a surpresa tática. Apenas que, quando se vê que não deu certo o pensamento original, volta-se a fazer o simples. Mas sem demora, porque o relógio não pára. Este foi um erro. Esperou demais para mudar e quando mudou, melhorou. Mas a bruxaria pesou de novo e Mário Fernandes foi sacado para em campo ficar um jogador que não sabe marcar. Da mesma forma, Neuton saiu para Lúcio ir para a lateral. Contra jogadores rápidos como Lucas e Dagoberto não se brinca. E ainda tinha o Marlos...
Talvez o Grêmio não vencesse mesmo a partida, mas não poderia ter jogado com tanto medo e displicência. O erro de Douglas foi cabuloso, mas acontece. Já o golzinho em impedimento fica por conta do lobby paulista...

FERNANDO

Fernando é melhor que Willian Magrão? Não. Vílson como volante não faria melhor a função do que um nervoso a atrapalhado Fernando? Sim. Fernando ainda não está pronto para o Grêmio, a pressão está grande, ele sabe que não é titular e acaba errando passes e fazendo faltas ridículas, fora o posicionamento incorreto. Para o bem dele, Renato tem que tirá-lo do time. Não vamos queimar um jovem talento, temos que emprestá-lo. E, por favor, chega de bruxaria.

Nenhum comentário:

Postar um comentário