quarta-feira, 13 de julho de 2011

A CARA E A CORAGEM

Gremistas de verdade que somos, gostaríamos de todo ano estar comemorando um título de grande expressão daqueles que amassassem o ego dos adversários e os colocasse literalmente para escanteio. Porém, o futebol não se faz somente de contratações bombásticas, repatriamento de ídolos, construção e remodelação de estádio. Nos tempos modernos, o futebol tem que ser gerido como empresa. Negociação de patrocínio, exploração do marketing, pagamento de dívidas, pesar salários de funcionários e jogadores, e investimento em contratações. Não sou advogado, mas consigo entender quando Odone não consegue contratar reforços de nome. A dívida junto aos órgãos públicos não é pequena. A maioria dos jogadores já tem seus passes vinculados à empresários e, por isso não se consegue uma grande soma vendendo-os. Para quem lembra bem, a última Copa do Brasil que conquistamos foram com atletas de renome que vieram com dinheiro da ISL, que depois foi embora deixando a dívida para o clube. Esse episódio culminou com um rebaixamento à série B. Quando disse que não sou advogado é porque não acho que Odone seja o melhor dos presidentes ou algo assim, mas quando o Grêmio estava na segundona, foi ELE quem assumiu o clube, com apenas quatro jogadores profissionais e os demais eram juniores. Foi ELE quem apostou em Mano Menezes (sacando outro grande ídolo: De León), hoje técnico da seleção. Foi ELE quem enxugou alguns gastos e reergueu o clube. É claro que o Grêmio merece muito mais de um presidente do que boa intenção, mas querendo ou não, nossos dirigentes deveriam aprender um pouco com Fernando Carvalho. Pode até ser que competência não seja o melhor adjetivo para Odone, mas que é CORAJOSO E GREMISTA disso não podemos duvidar.

Até mais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário