terça-feira, 27 de setembro de 2011

FUTEBOL TEM LÓGICA?

A pergunta acima deve estar martelando a cabeça de todos nós gremistas. Porque Mário Fernandes, o melhor lateral-direito do país no momento recusou-se a jogar pela seleção? É claro que gostamos que ele tenha dito que seu foco é o Grêmio, mas tudo tem limite. Não seria no primeiro treino na seleção que ele pegaria a camisa de titular e sairia jogando. O lobby dos paulistas ( que Mano Menezes já conhece muito bem) é forte. Com as atuações ruins de Danilo, naturalmente Mário entraria no time. Porque Maicon e Daniel Alves há muito tempo estão jogando apenas no nome também. Dizem que quando desembarcou da viagem à Argentina, Mário comentou que a seleção era muito estressante. Porquê? Alguns dizem que sofreu com bullyng de jogadores mais experientes o chamando de maluco por ter fugido do Grêmio da primeira vez. Na seleção a toda hora tem um corinthiano convocado, quer bullyng maior do que esse com o povo brasileiro? O certo é o rapaz tem que pensar melhor nas suas atitudes porque seria um orgulho para mim, ver que lateral do meu time é também o lateral da seleção. Quanto a vitória sobre o Avaí, a atuação até que foi razoável, mas não tem cabimento se retrancar contra um time fraco e fazer o Brandão ficar buscando jogo na esquerda. Ou teria que ter ficado dentro da área ou ter colocado o Miralles para fazer essa função já que o gringo tem mais bola para isso. Falta Celso acordar para algumas coisas ainda...

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

PARA DEIXAR QUALQUER UM MALUCO

Seis jogos. Este era o prazo que eu, em minha modesta opinião, havia estabelecido para que o Grêmio se mostrasse mais do que um mero participante da competição nacional. No sexto embate, foi -se por água abaixo uma campanha que estava se apresentando respeitável, não somente para nós torcedores do tricolor como fazendo surgir burburinhos na mídia do centro do país e também nos adversários. Mas a atuação desastrosa perante a um Vasco da Gama que sabia desde o início da partida como conter o Grêmio e jogar para ganhar, nos fez entender que se ficarmos entre o sexto e o décimo lugar no campeonato já ficará de bom tamanho. Não encare como pessimismo e nem como otimismo mas como realidade. Temos alguns bons valores, mas temos contra nós também o atraso na tabela que faz com que cada turbulência que ocorra seja uma decepção passível de fazer-nos baixar a cabeça e não ver um horizonte de títulos e nem ao menos de Libertadores. Vamos continuar torcendo como se os jogos vindouros fossem apenas para diversão porque a competição, na sua essência, já ficou para trás.

Até mais.     http://www.conscienciagremista.blogspot.com/

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

MUITO OBRIGADO TRICOLORES!!!

O Grêmio vem jogando uma bola redondaça nos últimos jogos e não são só os resultados que mostram isso mas também as estatísticas das partidas. Chutes a gol, passes acertados, roubadas de bola, tudo isso tem colaborado para a fase recente de vitórias. Parece que a animação e o ego dos jogadores também estão em alta. Alguns até chamados para a seleção e outros recebendo elogios de parte da mídia especializada merecidamente. Mas não podemos esquecer de quem está do lado de fora das quatro linhas: Celso Roth que achou um esquema ousado para o Grêmio. As chegadas dos meias para conclusão e a facilidade das jogadas pela lateral com dois apoiadores conhecedores do ofício, foram um achado exclusivamente do técnico turrão e teimoso. Mas o mesmo Roth tem que ter uma válvula de escape para não ficar refém do    4-2-3-1. Quando os adversários encontrarem o "time" (do inglês, 'taime'), uma nova proposta de jogo tem que estar na gaveta. Paulo Paixão trouxe nova vida aos corpos cansados dos atletas. Antes pareciam carregar pesados fardos às costas enquanto tentavam correr ou conduzir a bola, hoje porém, os jogadores estão leves e correndo com extrema facilidade. Por último Paulo Pelaipe, que como se fosse mágico, costuma tirar da cartola jogadores que quase sempre dão certo no clube e adaptam-se à forma de jogar do Grêmio. Desde os tempos de Rômulo, Ramon, Rafinha, Hugo, que o dirigente traz atletas que servem ao propósito do tricolor. Ninguém falou em craques mas em jogadores que podem acrescentar e fazer bons trabalhos por aqui. O Grêmio cresceu como um todo, inclusive a torcida tricolor que como sempre cresce na dificuldade e apóia seu clube acima de questões políticas e outras picuinhas do pessoal da gravata. A todos que tem se esmerado para trazer o tricolor ao seu lugar de direito que é entre os grandes, muitissimo obrigado.

Até mais.    http://www.conscienciagremista.blogspot.com/

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

O CHORO DE ROGÉRIO CEGUENI

O Grêmio mais uma vez, jogou um futebol de excelência no Olímpico, desta vez, contra o São Paulo. Os laterias estão funcionando muito bem, Júlio Cesár e Mário Fernandes não são apenas apoiadores, são dribladores também. Sabem abrir espaços na defesa adversária e levar os zagueiros adversários ao pavor. O meio campo chegando na área para concluir, coisa que até pouco não se via mais no Grêmio, a zaga ganhando as jogadas na antecipação e um goleiro de seleção em boa fase novamente. Tudo isso, deixa à nós gremistas, satisfeitos. Pela minha ótica, ainda falta uma partida para termos a prova definitiva da recuperação. E será contra o Vasco, um time bem armado que vem em ascenção no campeonato. Se conseguirmos um empate, estará consolidada a nova fase do tricolor.

CHORADEIRA

O que se pode esperar de Rogério Ceni? Que ele seja genial, decisivo e lidere sua equipe com seu futebol. E por isso, lhe dou razão. O árbitro foi realmente tendencioso. Quando não marcou a penalidade em Marquinhos, quando não expulsou Dagoberto que chutou Saimon por trás, quando só após ser pressionado pelos jogadores do Grêmio, amarelou a vida de Casemiro utilizando o mesmo critério de Marquinhos. A falta em Adílson foi clara no lance que Héber anulou o gol são-paulino, e mesmo assim, Rogério e Adílson Batista tiveram a cara-de-pau de dizer que não houve infração. Por mais moral que Ceni tenha, por tudo que já fez no futebol, ficaria melhor aceitar que o Grêmio foi superior e que saiu barato para o São Paulo o resultado. Ele tentou claramente mudar o foco das entrevistas para uma possível parcialidade do árbitro. O problema, Cenil, digo Ceni, é que as imagens não mentem.

Até Amanhã.    http://www.conscienciagremista.blogspot.com/

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

OS AJUSTES DA MÁQUINA TRICOLOR

O Bahia não foi páreo para o Grêmio mesmo jogando em seus domínios pela 22º rodada do Brasileirão porque o tricolor gaúcho não deu a menor chance no primeiro tempo. Tomamos conta do jogo de tal forma que os narradores e comentaristas nos pintaram como o "Barcelona dos pampas", "Grêmio Show", entre outros adjetivos que enobrecem qualquer time de futebol. Os laterais avançando e chegando à linha de fundo (ABC do futebol), os volantes seguros e os meias criando opções de jogadas para o atacante e chegando para também finalizar. Porém no segundo tempo, foi a vez do nosso goleiro brilhar. Victor, renascido das cinzas, fez aquilo que estávamos acostumados, nos levou nas costas. Bom para ele individualmente, mas ruim se pensarmos que só foi possível clarificar a presença do arqueiro debaixo das traves porque os demais se apequenaram e somente se defenderam. A máquina tricolor tem que produzir a partida inteira, o cansaço até poderia chegar mas, para isso existe o recurso da posse de bola, da cadência e não do sumiço. O espírito tem que manter-se vivo enquanto a bola rolar. Para o jogo com o São Paulo, temos que apoiar e continuar a cobrar os jogadores para não haver o declínio da boa fase, cobrar mas com respeito a quem está dando a volta por cima e entendendo que o Grêmio é muito grande e como grande deve se portar. Se não perder nas próximas três rodadas, então estará estabilizada e consolidada a reação. Por hora, ajustes ainda devem ser feitos na máquina tricolor.

ATÉ AMANHÃ.   http://www.conscienciagremista.blogspot.com/

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

DIGA NÃO À EUFORIA!!!

O título deste post faz referência às inúmeras vezes neste ano que achamos que o tricolor emendaria uma sequência de vitória e nos faria ter orgulho do futebol vistoso apresentado na partida anterior. E o torcedor passional, com certeza acredita que seu time sempre vencerá. Contudo, o que temos vimos visto é uma equipe irregular, que começa a ter padrão de jogo e por isso, ainda é cedo para fazer previsões de êxito e elevar o ego, pois hoje ainda é impossível dizer que o Grêmio está incorpado. Quem sabe daqui a três ou quatro partidas com atuações realmente relevantes se possa criar uma expectativa mais evidente, que nos faça esperar pelo próximo confronto.

"É PRECISO FÉ CEGA E PÉ ATRÁS..."  (HUMBERTO GESSINGER) - ILUSTRE GREMISTA.

ATÉ AMANHÃ.     http://www.conscienciagremista.blogspot.com/

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

QUEM JOGOU, VENCEU!

A vitória esmagadora do Grêmio, ontem , no Olímpico, passa muito pela aplicação e pela vontade de vencer que os jogadores vem colocando nas partidas. Aquele time insosso, de rodadas anteriores, parece ter ficado para trás como uma febre amarela que havia deixado doente a todos que estavam no mesmo lugar e na mesma ocasião. A manutenção do esquema 4-5-1 tem dado certo porque agora podemos contar com um meio de campo mais "recheado" e assim não perdemos os rebotes. Os laterais com vocação para atacar sabendo que os volantes ficarão resguardando a defesa, é garantia de pressão na equipe adversária. Rochemback joga muito, mas a função dele não é ir ao ataque para armar jogadas. Ele tem é que proteger a defesa  e assim está fazendo. André Lima teve seu lampejo de artilheiro reaparecendo, com muita contribuição de Escudero que o deixou na cara do goleiro e Douglas (batedor oficial) que deixou que batesse o pênalti. Mérito mesmo, só no gol de fora da área. Roth está consciente de que nem tudo está perfeito, e assim é melhor. O conformismo só tem a prejudicar, pois não fomos muito exigidos na defesa, embora não tenhamos deixado o adversário jogar. Esperamos que contra o Bahia, a postura do "querer sempre mais", seja mantida.

ATÉ AMANHÃ.     http://www.conscienciagremista.blogspot.com/   

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

CARGA EMOCIONAL

O Grêmio vem sofrendo com a constante roubalheira que lhe vem sendo aplicada durante o campeonato. Pênaltis inexistentes, cartões fora de proprósito, intimidação por parte dos árbitros, jogadores denunciados por imagens...Tudo isso, não se vê em Flamengo, Corínthians, entre outros mais afortunados sejam financeiramente ou popularmente. Por muito tempo, achei que o bairrismo exacerbado do povo gaúcho contribuía para ranso que os outros Estados têm para conosco. Quando o hino Riograndense ecoa nos campos de futebol da Dupla GRENAL  e o Hino Nacional é apenas um sussurro ou é ignorado, eu costumava ficar descontente com aquilo, afinal faça parte desta nação, mas nossos clubes parecem pertencer a alguma confederação de futebol independente que têm seus afiliados (Grêmio e Inter), fazendo participação especial no certame. Com a condição de nunca vencer a competição e deixar que os árbitros apitem seus jogos com parcialidade demasiada e sem o direito a reclamações posteriores.
Enquanto esses fatos bizarros contra o Grêmio continuarem a acontecer, não haverá esquema, contratação, protesto, troca de treinador que fará o time almejar por algo melhor. De hoje em diante, em termos de futebol, me declaro gaúcho acima de tudo. Já que o Brasil não nos quer, que o hino Riograndense tome conta do Estádio Olímpico e faça-se minutos de silêncio para o Hino Nacional como protesto.

ATÉ AMANHÃ, GREMISTA INDIGNADO.      http://www.conscienciagremista.blogspot.com/