sexta-feira, 9 de setembro de 2011

OS AJUSTES DA MÁQUINA TRICOLOR

O Bahia não foi páreo para o Grêmio mesmo jogando em seus domínios pela 22º rodada do Brasileirão porque o tricolor gaúcho não deu a menor chance no primeiro tempo. Tomamos conta do jogo de tal forma que os narradores e comentaristas nos pintaram como o "Barcelona dos pampas", "Grêmio Show", entre outros adjetivos que enobrecem qualquer time de futebol. Os laterais avançando e chegando à linha de fundo (ABC do futebol), os volantes seguros e os meias criando opções de jogadas para o atacante e chegando para também finalizar. Porém no segundo tempo, foi a vez do nosso goleiro brilhar. Victor, renascido das cinzas, fez aquilo que estávamos acostumados, nos levou nas costas. Bom para ele individualmente, mas ruim se pensarmos que só foi possível clarificar a presença do arqueiro debaixo das traves porque os demais se apequenaram e somente se defenderam. A máquina tricolor tem que produzir a partida inteira, o cansaço até poderia chegar mas, para isso existe o recurso da posse de bola, da cadência e não do sumiço. O espírito tem que manter-se vivo enquanto a bola rolar. Para o jogo com o São Paulo, temos que apoiar e continuar a cobrar os jogadores para não haver o declínio da boa fase, cobrar mas com respeito a quem está dando a volta por cima e entendendo que o Grêmio é muito grande e como grande deve se portar. Se não perder nas próximas três rodadas, então estará estabilizada e consolidada a reação. Por hora, ajustes ainda devem ser feitos na máquina tricolor.

ATÉ AMANHÃ.   http://www.conscienciagremista.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário