sexta-feira, 7 de outubro de 2011

O DILEMA DE ODONE

Pensar em tudo que o Grêmio passou este ano e ver que a calmaria está voltando ao Olímpico é uma benção. Mais importante do que ganhar, é ganhar jogando bem. Nosso futebol está hoje como estava no segundo semestre do ano passado. Bonito de se ver, alguns times até com certa inveja já elogiam o "retranqueiro" Roth. O tricolor é dado à façanhas. Por mais que o presidente esteja descarregando sobre Renato a culpa de todos os acontecimentos do primeiro semestre é imperioso que ele faça uma reflexão de que sem convicção não se faz futebol. Odone foi forte fazendo discurso do adeus de Renato quando o barco estava afundando, porém isto teria de ser feito no início do ano mesmo contrariando a torcida. Ninguém está isento de culpa pela fase ruim. Quando digo ninguém, inclui-se também a torcida. Eram visíveis os erros de Renato táticamente, as escolhas de jogadores preterindo craques como Mário Fernandes por Gabriel por exemplo. Não se esqueçam a dispensa do Borges por conta do Renato. Nosso ídolo não mau treinador, apenas teimoso como Roth. E Roth (preferido do presidente) arrumou a casa. Renovar contrato? É para se pensar. Mas quem garante que na virada do ano, não haja a sequência do filme: "Seis Meses de Terror - Parte 3"? Por hora, pensemos no presente, que nos está brindando com a reação e a possibilidade de Libertadores, mas quem me acompanha sabe que fiz uma previsão: Ficaremos entre o 6º e o 10º lugar. Mas torcendo por algo melhor (que dure pelo menos um ano).

http://www.conscienciagremista.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário